sábado, 7 de setembro de 2013

29 obras de Platão em pdf

http://pensamentosnomadas.wordpress.com/2012/04/03/26-obras-de-platao-em-portugues-e-espanhol-pdf/

62 obras sobre os principais pensadores da educação

http://www.revistabula.com/831-62-obras-sobre-os-principais-pensadores-da-educacao-para-download/

As imagens do filme perdido de Jerry Lewis sobre o Holocausto

http://www.publico.pt/cultura/noticia/as-imagens-do-filme-perdido-de-jerry-lewis-sobre-o-holocausto-1603166

Os Muckers - Um episódio de fanatismo religioso

Os muckers eram uma pequena comunidade de fanáticos religiosos que se formou no então município de São Leopoldo — atualmente no de Sapiranga — na localidade situada ao pé do morro Ferrabrás. Como todo o município de São Leopoldo, aquela era uma área ocupada por imigrantes alemães católicos e protestantes, que haviam chegado ao Rio Grande do Sul a partir de 1824.

Esse grupo de fanáticos era liderado por Jacobina Mentz Maurer — que se julgava uma reencarnação de Cristo e que prometia construir a "cidade de Deus" para seus discípulos. Jacobina, desde criança, passava por "transes" e, quando nesse estado, diagnosticava doenças.

Em 1866, se casou com João Maurer, e sua fama começou a crescer. Um grupo de adeptos cada vez maior se reunia na casa do casal nos finais de semana. O movimento foi crescendo, Jacobina foi proclamada "Cristo" e chegou a escolher seus apóstolos.

Os seguidores de Jacobina seguiam regras rígidas. Não bebiam, não fumavam, e não iam a festas. Isso provocava uma certa resistência por parte dos demais colonos alemães - resistência que se tornou maior quando os seus seguidores passaram a tirar as crianças das escolas comunitárias.

Muckers x Spotters

Essa antipatia entre os colonos "normais" e os seguidores de Jacobina fica bem expressa nos apelidos que respectivamente se deram: Mucker - falso religioso, santarrão - era a maneira como eram chamados os "fiéis" da novo "Cristo". E Spotter - debochadores - era como os seguidores de Jacobina chamavam seus adversários.

O clima de hostilidade entre os dois grupos foi se tornando cada vez mais intenso, até que o chefe da polícia local resolveu prender Jacobina e seu marido. O presidente da então Província do Rio Grande do Sul, entretanto, achou que houve precipitação - e determinou que fossem soltos. Com isso, ganharam força os fanáticos, que se convenceram, de vez, que Jacobina era mesmo o "Cristo". E os demais colonos acirraram seus ânimos contra os Muckers, atribuindo a eles qualquer coisa que acontecesse de ruim ou errado.

Como violência só gera violência, o clima ficava cada vez pior. Os muckers passaram a atacar seus inimigos - a casa de um ex-mucker, Martinho Kassel, foi incendiada, causando a morte de sua mulher e de seus filhos. Logo depois, incendiaram a casa de um comerciante, Carlos Brenner, matando as suas crianças. E também atacaram mais duas lojas e duas casas, chegando a executar um tio do marido de Jacobina, que não queria fazer parte da seita.

Ataque militar

Após esses e outros episódios violentos, houve nova intervenção policial em 28 de junho de 1874, quando 100 soldados cercaram o reduto dos muckers. Mas a luta foi um vexame: com soldados mal treinados e sem nenhuma estratégia, o comandante do grupo, coronel Genuíno Sampaio, viu seu grupo sofrer 39 baixas, enquanto os muckers tiveram apenas 6 baixas. O confronto, mais uma vez, serviu apenas para fortalecer os muckers, pois confirmava uma das "profecias" de Jacobina, que dizia que quem acreditasse nela não morreria.

Menos de um mês depois, em 18 de julho, houve um segundo ataque, comandado pelo mesmo coronel. Dessa vez, a casa foi incendiada, mas os muckers que lá se encotravam não se entregaram - preferiram morrer, pois acreditavam nas palavras de Jacobina, que havia lhes dito que iriam ressuscitar. Foram 16 os muckers mortos - mas Jacobina conseguiu escapar, acompanhada de alguns de seus seguidores. E, durante a noite, um dos muckers, provavelmente escondido no morro Ferrabrás, atingiu o coronel, que morreu no dia seguinte devido a uma hemorragia.

Novo ataque aconteceu no dia 21 de junho, sem resultados - depois de duas horas de confronto, os soldados se retiraram. A vitória só foi possível no dia 2 de agosto, quando, conduzidos por Carlos Luppa, um mucker que havia decidido se entregar e trair seus companheiros, os soldados puderam chegar até o reduto do morro Ferrabrás. Dessa vez, Jacobina e os 16 seguidores que a acompanhavam foram mortos.

Os muckers sobreviventes tiveram que enfrentar duros momentos. Durante oito anos, foram conduzidos de prisão em prisão, sem serem julgados. Finalmente, foram perdoados e soltos, mas tiveram que aguentar a perseguição dos colonos alemães até o final de suas vidas.
(Por Lígia Gomes Carneiro)


http://www.youtube.com/watch?v=zLel0siiLdY

Documentos sobre o Império no Brasil

O programa de pesquisa da MAPA concluiu em 2013 a inserção, na base de dados Mapa/Sian, de informações sistematizadas sobre os cargos e órgãos da administração pública brasileira existentes durante o período imperial .
O trabalho incluiu não só as secretarias de Estado como também inúmeras repartições das mais diferentes áreas de atuação do governo central, incluindo instituições importantes como o Conselho de Estado. No total, são cerca de 300 órgãos que compuseram a administração pública entre 1822 e 1889,contemplando ainda os primeiros anos da República, mais especificamente até 1891, quando foi realizada a primeira grande reforma administrativa do novo governo.
Com essas informações, é possível traçar uma grande panorama da atividade administrativa do Estado brasileiro no século XIX, recuperando a trajetória destas instituições, de forma acompanhar as sucessivas alterações na sua estrutura, competência, subordinação, etc.

http://linux.an.gov.br/mapa/?p=4807

Site com fontes Cartográficas

http://rhmod.weebly.com/fontes-cartograacuteficas.html

quarta-feira, 15 de maio de 2013

MEC lança site para ensinar francês gratuitamente

http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2013/05/07/1021733/mec-lanca-site-ensinar-frances-gratuitamente.html

História da Fotografia - no Brasil (lista de reprodução)

Biblioteca Nacional Digital Americana

 
O objetivo desta biblioteca - capitaneada pelo historiador americano e diretor da biblioteca de Harvard, Robert Darnton – é reunir e compartilhar de forma gratuita, na internet, milhares de documentos e obras que pertencem a bibliotecas, universidades, museus e arquivos dos Estados unidos. Apenas nos primeiros momentos da biblioteca serão cerca de três milhões de itens disponíveis para consultas, entre fotografias, mapas, documentos, objetos, códices, etc.
(fonte: Café História)




http://dp.la/

terça-feira, 12 de março de 2013

O Dicionário histórico-biográfico da Primeira República tem a finalidade de oferecer aos estudiosos, e a todos os interessados em conhecer a história política do Brasil, dados, informações e análises sobre o período que vai da Proclamação da República, em 1889, até a Revolução de 1930. Recuando no passado, a obra dá continuidade ao trabalho iniciado com o primeiro dicionário histórico produzido pelo Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da Fundação Getulio Vargas (CPDOC-FGV), coordenado por Israel Beloch e por mim: o Dicionário histórico-biográfico brasileiro 1930-1983, obra pioneira publicada em 1984, reeditada em 2001 sob o título Dicionário histórico-biográfico brasileiro pós-1930, e relançada em 2010 em versão on line. Desde sua primeira versão o DHBB tornou-se um instrumento de trabalho indispensável para todos os pesquisadores e estudiosos da história recente do país, comprovando-se assim a importância desse tipo de obra. Com este novo dicionário, pretendemos completar o arco de informações necessárias ao estudo da história de todo o período republicano.





http://cpdoc.fgv.br/museudofutebol
Cientistas Sociais de Países de Língua Portuguesa: Histórias de Vida
Estão aqui reunidos os resultados do projeto Cientistas Sociais de Países de Língua Portuguesa: Histórias de Vida, iniciado em 2007, que tem como objetivo a constituição de um acervo de entrevistas de historia audiovisual com cientistas sociais da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) e sua disponibilização pela internet. Trata-se de projeto em desenvolvimento, que será acrescido de novas entrevistas, à medida que elas forem sendo realizadas e processadas. As entrevistas, incluindo as pesquisas que as precederam ou contato que as sucederam, levaram ao encontro ou à doação de informações ou documentos pessoais ou institucionais, também aqui disponibilizados.

http://cpdoc.fgv.br/cientistassociais

Dossiê Justiça Militar

Está aqui reunido um conjunto de 12 entrevistas (totalizando 14h41min de duração) realizadas entre 2005 e 2006 durante a realização de uma pesquisa sobre os 200 anos de Justiça Militar no Brasil, sob a coordenação de Maria Celina D’Araujo e Celso Castro. Dentre os depoentes, encontram-se 10 ministros do STM, além de 2 advogados que relacionaram-se, de modos distintos, com a Justiça Militar.

Site: http://cpdoc.fgv.br/justicamilitar

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Com a intenção de disponibilizar para o Brasil parte de seu acervo didático, a Universidade São Paulo (USP) criou o Portal e-Aulas USP. São cerca de 800 videoaulas divididas em três categorias específicas: Exatas, Humanas e Biológicas.

http://www.eaulas.usp.br/portal/home

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Fantasmagorie Émile Cohl, 1908. A primeira História de animação.

Centenas de gravuras de William Blake são encontradas em biblioteca no Reino Unido


Uma equipe coordenada pelo historiador de arte Colin Todd descobriu, na biblioteca John Rylands da Universidade de Manchester, um conjunto de 350 ilustrações do poeta e pintor britânico William Blake (1757-1827), de acordo com informações do jornal "The Independent".
A biblioteca da universidade inglesa já possuía obras de Blake, como as ilustrações coloridas à mão para o livro "Young's Night Thoughts", de Edward Young, mas os pesquisadores suspeitavam que haveria mais desenhos perdidos na vasta coleção da biblioteca, que possui cerca de um milhão de livros e documentos.
A seleção de gravuras será exposta na Universidade de Manchester em fevereiro.
William Blake é considerado um dos grandes poetas do Romantismo e um dos mais importantes autores da literatura inglesa.

fonte: Folha de São Paulo

Arquivo Nacional inaugura exposição Arquivos do Brasil: Memória do Mundo

Será inaugurada no Arquivo Nacional, em sua sede no Rio de Janeiro, no dia 26 de fevereiro, às 18h, a exposição comemorativa em homenagem aos 20 anos de existência do Programa Memória do Mundo da UNESCO/Memory of the World – MOW e também aos 5 anos de instalação do Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo.

Criado pela UNESCO, órgão das Nações Unidas, em 1992, o Programa reconhece como patrimônio da humanidade documentos, arquivos e bibliotecas de grande valor internacional, regional e nacional, inscrevendo-os nos registros e conferindo-lhes certificados que os identificam. Tendo como objetivo estimular a preservação e a ampla difusão desse acervo, o MOW facilita a preservação desses documentos e seu acesso, contribuindo, assim, para despertar a consciência coletiva para o patrimônio documental da humanidade.

Entre os anos de 2007 e 2011, foram nominados 45 (quarenta e cinco) acervos brasileiros constituídos de enorme diversidade cronológica e tipologias documentais, custodiados pelas mais diferentes instituições. O filme Limite, de Mário Peixoto (Fundação Cinemateca Brasileira); a Lei Áurea (Arquivo Nacional); os manuscritos musicais de Carlos Gomes (Fundação Biblioteca Nacional); o diário de viagens do Imperador d. Pedro II pelo Brasil e pelo mundo (Museu Imperial) são alguns exemplos de acervos agora reconhecidos como Memória do Mundo. Na Fiocruz, os fundos Oswaldo Cruz e Carlos Chagas foram reconhecidos pelo Programa Memória do Mundo, em 2007 e 2008, respectivamente. Em 2012, foi a vez dos negativos de vidro do Fundo Instituto Oswaldo Cruz.

A exposição de caráter educativo e itinerante exibirá em torno de 400 imagens, distribuídas em nove módulos, que integram acervos brasileiros nominados pelo programa Memória do Mundo da UNESCO em nível nacional (Brasil), regional (América Latina e Caribe) e internacional.

Além das imagens em painéis, a exposição contará com 4 filmes editados a partir dos acervos nominados. Também serão expostos documentos originais em vitrines climatizadas, entre eles, mapas, a sentença dos Autos da Devassa da Inconfidência Mineira e a Lei Áurea, que neste ano completa 125 anos. Com entrada franca, a mostra ficará aberta de 26 de fevereiro a 31 de maio, das 9h às 17h, e contará com monitores, catálogo e folders.

São parceiros do Arquivo Nacional, neste projeto, a UNESCO e as instituições custodiadoras dos acervos nominados.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Arquivo Nacional
Museu virtual da Capela Cistina

http://www.vatican.va/various/cappelle/sistina_vr/index.html
Museu virtual do Iraque

http://www.virtualmuseumiraq.cnr.it/prehome.htm
Lima Barreto "Lá fora o falsete dos mascarados, as longas cantilenas dos cordões, os risos e as músicas lascivas"


Livro digitalizado:

http://www.brasiliana.usp.br/bbd/handle/1918/00117600#page/1/mode/1up

terça-feira, 1 de janeiro de 2013